Domingo, 7 de Outubro de 2007
O "momento"

Nunca pensei sofrer tanto por um “momento” ao lado de alguém que, rápida e desconcertantemente, deixa todo o meu ser racional em crise.
O “momento”…esse, era “especial” para mim. Não por algum motivo em particular mas apenas… porque sim. Meditei acerca da capacidade de algumas pessoas transformarem uma pintura borratada numa límpida e sensual aguarela.
Estacionei o automóvel e falei comigo mesmo: “ Mas porquê que estás assim? Nervoso, ansioso, inquieto…? Trata-se apenas de um “momento. Nada mais… vá lá… adopta um comportamento de acordo com os teus padrões e sê um homenzinho, sim?”
Não resultou.
A conversa interior que mantive com o meu coração não passou de uma perda de tempo. Aquela dorzinha de estômago sentida dezenas de vezes quando ia fazer provas orais, regressava em força. Mas que força! Nada a fazer… prossegui.
Já bem acomodados, enquanto mantínhamos uma agradável conversa acerca das nossas vidas, não consegui deixar de pensar, por alguns instantes, no “momento”. Como é que algo tão banal (no bom sentido), pode ser tão especial?
Parecia que estava a assistir a um filme, entrando totalmente na sua estória. Tudo à minha volta deixou de fazer sentido. Estava concentrado apenas nos seus olhares, nos seus pequenos gestos, nos seus pequenos detalhes, na sua beleza, na sua delicadeza, na sua sensibilidade, na sua feminilidade, ……
Ao fim de algumas horas e após uma longa conversa onde pude explanar o que me invade a alma, o “momento”… acabou.
Entrei no meu carro e sorri para mim mesmo. Apesar do cansaço provocado pelo excesso de trabalho que me tem consumido nestes últimos tempos e, em bom rigor, por algumas noites mal dormidas, nada, mas mesmo nada, foi capaz de desviar o sentido do meu pensamento para lugares comuns.
Aquela pessoa significará algo para mim? Talvez. O quê? Não sei… não sei mesmo!

Mas tudo o que senti e sinto me deixa feliz.

Seja lá o que for…


publicado por euporvezes às 15:57
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 13 de Outubro de 2007 às 04:10
No matter what, if you felt happy, the "moment" was worthy ;)


De Anónimo a 13 de Outubro de 2007 às 13:23
Canção do Dia de Sempre

Tão bom viver dia a dia...
A vida, assim, jamais cansa...
Viver tão só de momentos
Como essas nuvens do céu...
E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...
E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.
Nunca dês um nome a um rio:
sempre é outro rio a passar.
Nada jamais continua
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas.

Mário Quintana


De Sara Veiga a 15 de Outubro de 2007 às 22:43
Pois é, este é o dilema de muito boa gente. E acaba por nem ser um dilema, porque essa sensação sabe bem, ora confessa lá!
Seja lá o que for.
Aprendi que não devemos pensar demais nas coisas. Muitas vezes estragamos as coisas ou encaminhamo-las para onde não deviam ir graças a esse tipo de postura.
Deixa rolar.
Vais ver que te sentirás melhor e viverás esses "momentos" de uma maneira mais intensa e real.


Comentar post

mais sobre mim
badge
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29


posts recentes

As minhas desculpas since...

O tamanho das pessoas

Blind Zero - Tree

Entregar-me ao imprevisiv...

Vou mudar de vida...

Eu assumo...

Será que estou apaixonado...

Será que estou apaixonado...

Um olhar de Mulher

Are You Gonna Wait Foreve...

arquivos

Fevereiro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

logo da campanha Por Darfur
badge
badge
blogs SAPO
RSS